Arquivo da tag: fluorita

Illinois Fluorspar District – Série "American Mineral Treasures"

ILLINOIS FLUORSPAR DISTRICT

Uma das vitrines mais espetaculares que compuseram a exposição “American Mineral Treasures” no último show de minerais de Tucson abordou o “Illinois Fluorspar District”.

O estado de Illinois foi o mais importante produtor de fluoritas nos Estados Unidos durante a maior parte do século passado. O hábito dos cristais era normalmente cúbico, a cor era azul, amarela ou roxa, e cristais bicolores e/ou zonados eram comuns. Os minerais acessórios mais importantes eram galena, esfalerita, calcita e barita, e mais raramente estroncianita e witherita.

O texto da vitrine (foto abaixo) dizia o seguinte:

” O Distrito de Fluoritas do Illinois tem sido uma famosa fonte de fluorita e de galena desde 1812, embora no princípio apenas a galena era recuperada ( para a produção de chumbo e de prata ). Nos anos 1880’s uma tecnologia nova para a produção de aço começou a ser utilizada, requerendo o uso e fluorita como fundente, o que incentivou a mineração na área. Desde então mais de 200 minas foram abertas, com o coração da atividade mineira sendo localizado durante mitos anos ao redor da cidade de Rosiclare. A partir do final da Primeira Guerra Mundial a região de Cave-in-Rock superou Rosiclare como núcleo principal de produção.

O Distrito liderou a produção norte-americana de fluorita durante os anos 1940’se centenas e milhares de toneladas de excelentes amostras de fluoritas azuis, amarelas ou roxas foram produzidas, muitas das quais de tamanhos e qualidades de museu. A última mina no Distrito encerrou as atividades em 1995.”


Cristais gêmeos ( mas não geminados ) de fluorita roxa, exibindo leve zoneamento de tonalidades de cor, medindo 10 x 6 cm

Cristais cúbicos de fluorita roxa, com cerca de 4 cm de aresta, sobre grupos de cristais menores de fluorita roxa, associados a pequenos cristais de calcita amarela ( dimensões totais – 20 x 10 cm )

Cristal cúbico de galena ( 7 x 4 cm ) sobre grupo de cristais de fluorita roxa ( altura – 11 cm )

Grupo de estalactites de esfalerita marrom-avermelhada escura com incrustações de cristais cúbicos de fluorita roxa – dimensões aproximadas – 25 x 15 cm

Grupo de cristais roxos de fluorita ( dimensões totais 25 x 18 cm ) parcialmente recobertos por grupos de cristais bege de estroncianita e cristais brancos de calcita

Grupo de cristais de fluorita roxa com a forma de uma “caverna”, com 21 cm e altura, exibindo cristais de fluorita tanto na superfície externa como na interna

Grupo de cristais cúbicos ( cerca de 10 cm de aresta ) de fluorita roxa recobertos por pequenos cristais de galena – tamanho total da amostra – 30 x 15 cm

Grupo de cristais cúbicos de fluorita zonada ( predominantemente laranja com fina zona externa arroxeada ), associada a cristais de calcita ( dimensões totais – 9 x 8 cm )

Grupo de cristais de witherita, com 10,6 cm de altura – a witherita, carbonato de bário, é um mineral relativamente raro e as melhores amostras do mundo foram encontrados nesse distrito

Cristal cúbico de fluorita, zonado (roxo na parte externa, amarelo no núcleo), com inclusões de barita ( largura da amostra – 9 cm )


As fotos acima demonstram que esta região produziu as melhores amostras mundiais de fluorita ( considerando-se o tamanho dos cristais, a variedade de cores e a quantidade total de amostras de excepcional qualidade produzidas ) e de witherita; foi também uma excepcional produtora de galenas, estroncianitas e esfaleritas e ainda, como “tempero”, “charme” adicional, cristais de calcita e barita enriquecendo as amostras.

Esta é sem dúvida uma das “Top-50” localidades mundiais de minerais, celeiro inesgotável de maravilhas!

Em breve, mais tesouros do mundo mineral. Até lá!


Show de Denver 2007 – Vitrine do Museu de Los Angeles, Parte 4

Continuando a nossa reportagem sobre o show de minerais de Denver, realizado em setembro deste ano, apresentaremos a seguir mais dois minerais citados na vitrine de curiosidades mineralógicas brasileiras do Museu de História Natural de Los Angeles.

RUTILO no QUARTZO – Novo Horizonte, Bahia

O quartzo rutilado desta mundialmente famosa localidade ( a única que produz quantidades significativas de cristais com inclusões de rutilo douradas, em todas as outras o rutilo é vermelho, laranja-avermelhado, cinza metálico ou quase preto ) normalmente se apresenta sob a forma de longas agulhas atravessando os cristais de quartzo em todas as direções ou crescendo epitaxialmente sobre inclusões de hematita formando espetaculares estrelas de seis pontas; este cristal de 6 x 6 cm exibe o rutilo concentrado próximo à superfície, crescendo em todas as direções a partir de minúsculos núcleos de hematita, parecendo “explosões estrelares”.


Tradução do Texto – Agulhas de rutilo nesta localidade geralmente crescem epitaxialmente sobre hematita, formando estrelas de seis raios. Agregados de grãos de hematita aleatoriamente orientados no núcleo deste “spray” de rutilo gerou a forma atípica de “explosão estrelar” de agulhas de rutilo avermelhadas.

FLUORITA – Marambaia, Minas Gerais

Trata-se de um cristal de fluorita levemente arroxeado que mede 8 x 8 cm e foi encontrado num pegmatito, o que é relativamente atípico nessas dimensões ( microcristais de fluorita são mais fáceis de serem encontrados em alguns tipos de pegmatitos )


Tradução do Texto – Fluoritas provenientes de pegmatitos brasileiros são raramente encontradas no mercado de espécimes minerais. Este cristal bem formado, geminado de penetração, provem da mais importante região produtora de águas-marinhas e topázios. A presença de fluorita nesses pegmatitos não deve ser considerada uma surpresa, afinal, fluorita e topázio são ambos minerais que contêm flúor.

Aguardem em breve mais notícias do show, assim como a reportagem sobre o show de Munique.