Série "American Mineral Treasures"

Minerais das Grandes Localidades Americanas

Iniciaremos uma série de artigos sobre a mais espetacular exibição de minerais que já foi feita em qualquer lugar e em qualquer tempo (não é opinião apenas nossa mas também de todos os colecionadores de minerais, comerciantes e cientistas que estiveram presentes no show de minerais de Tucson-2008).

Durante o Tucson Gem and Mineral Show, organizado pela Tucson Gem and Mineral Society (também chamado de “Tucson Main Show”), que se realizou este ano de 14 a 17/02, foram expostas na área nobre do pavilhão de exposições do “Tucson Convention Center” 44 vitrines, contendo a maior parte das mais importantes amostras que foram produzidas nas 44 mais importantes localidades de minerais dos Estados Unidos.

Cada vitrine foi coordenada por uma a quatro pessoas que têm ou tiveram (a maior parte daquelas localidades não se encontra mais em produção) intenso contato com a mesmas, tendo portanto profundo conhecimento do que foi nelas produzido, e que fizeram um precioso trabalho de localizar onde estão as melhores amostras, e fizeram então contato com esses museus e/ou colecionadores particulares e tiveram êxito em convencer a maior parte deles a permitir que essas amostras fossem trazidas para essa exposição.

Além de viabilizar a exposição dessas espetaculares amostras de cada uma dessas 44 localidades cada coordenador/grupo escreveu um texto resumido, que foi exposto juntamente com as peças, bem como um texto mais detalhado, que foi incorporado, juntamente com fotos da maioria das peças expostas, no fantástico livro “American Mineral Treasures”, que foi editado por Gloria A. Staebler e Wendell E. Wilon, Lithographie, LLC (East Hampton, Connecticut).

Iniciaremos a série com a primeira reportagem, sobre o distrito de Hiddenite, North Carolina.

HIDDENITE DISTRICT

Esta foi a mais espetacular vitrine da exposição “American Mineral Treasures”, pois continha o que considero a segunda melhor amostra que eu tive a oportunidade de ver em toda minha vida ( a melhor foi a rubelita “Joninha”, encontrada em 1979 na Lavra do Jonas ): um cristal de esmeralda perfeito, terminado, com ótimo brilho, limpo junto à terminação, medindo 19,5 cm, sobre uma matriz cristais de siderita e de rutilo medindo cerca de 20 x 15 cm; esta amostra foi encontrada em dezembro de 2003 e foi vendida ao Houston Museum of Natural History por um pouco mais de 1 milhão de dólares!; ela talvez seja a melhor amostra de mineral encontrada nos Estados Unidos em todos os tempos!

Além dessa amostra extraordinária, inacreditável, indescritível, havia na vitrine várias outras esmeraldas bem como cristais de hiddenita, que descreveremos mais adiante. O texto da vitrine dizia o seguinte:

“Em 1879 Thomas Alva Edison pediu a William Earl Hidden, de Newark, New Jersey, para ir ao estado da Carolina do Norte para lá prospectar platina, sobre a qual havia rumores de haver sido encontrada em aluviões auríferos da região. Edison esperava que a platina pudesse ser utilizada para a confecção de filamentos para suas recém-inventadas lâmpadas incandescentes.

A procura foi negativa mas, durante sua permanência na região Hidden conheceu J. Adali D. Stephenson, um comerciante próspero e também colecionador de minerais, em Statesville, que lhe mostrou um lote de cristais verdes, o que deu a partida na atípica história da produção de gemas na Carolina do Norte.

Alguns daqueles ‘pregos verdes’, como eram conhecidos pelos fazendeiros locais, foram imediatamente reconhecidos como esmeraldas, mas outros constituíam-se de algo novo, a variedade gemológica verde do espodumênio que foi posteriormente chamada de ‘hiddenita’.

Desde aquela descoberta pioneira o atualmente conhecido como ‘Hiddenite district of Alexander county, North Carolina’ produziu cerca de 50.000 quilates de esmeralda e 5.000 quilates de hiddenita.”

A maior hiddenita na vitrine mede cerca de 8 cm e está mostrada na foto abaixo.

Com relação ao nome “hiddenita” há gemólogos que consideram que deva ser apenas utilizado para os espodumênios cuja cor verde se deva exclusivamente à presença de impurezas de cromo na rede cristalina, o que tornaria Hiddenite a única ocorrência mundial, e a hiddenita talvez a gema mais escassa do mundo ( pois apenas 5000 quilates foram lá produzidos desde 1879 até hoje ). Entretanto, a exemplo do que também ocorre com a esmeralda, o mercado aceita como “hiddenitas” espodumênios de cor verde bem definida, de outras procedências, que se deve a impurezas não de cromo mas de ferro.

3 ideias sobre “Série "American Mineral Treasures"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *